Malware e ransomware: como me proteger?

Você e sua empresa sabem o que fazer para se preparar para um possível ataque?

O mês de maio foi marcado por um dos maiores ataques de criptografia de dados do mundo, atingindo mais de 150 países e 200 mil computadores em apenas três dias. O ataque feito pelo vírus conhecido como “Wanna Cry” foi um ransomware, que invade o computador da vítima e sequestra suas informações pedindo um resgate em bitcoins, espécie de moeda virtual.

Essa prática vem crescendo rapidamente a ponto de ter afetado mais da metade das 300 empresas brasileiras pesquisadas apenas em 2016, segundo dados da Trend Micro. O mesmo levantamento mostra que 56% não contam com tecnologias adequadas para monitoramento e detecção de comportamento suspeito na rede. [Nota do editor – Hoje mesmo, um novo ransomware atingiu diversas empresas na Europa e nos EUA, o Petrwrap, é uma variação de um ransomware chamado Petya]

A velocidade do aumento de golpes que com ransomware mostra o quão engajados estão os cibercriminosos. Mas você e sua empresa sabem o que fazer para se preparar para um possível ataque?

1 – Faça backup
As soluções em nuvem trazem uma série de possibilidades para um backup mais seguro. A cópia de documentos e informações deve ser periódica e com varreduras para certificar-se que todos os dados foram inclusos. Já existem produtos no mercado que utilizam avançadas ferramentas para manter seus arquivos em Cloud, podendo também restaurá-los em outros servidores ou desktops, o que acelera a resposta para desastres.

2 – Atualize seus softwares
Certifique-se de atualizar periodicamente os programas de antivírus instalados nas máquinas, verificando também a necessidade de implementar versões mais recentes que tragam proteções adequadas aos novos tipos de malwares. O sistema operacional – seja Windows, OS X, Linux, ou outro – deve estar em dia para que possa funcionar de maneira alinhada e assertiva com os firewalls instalados, diminuindo a vulnerabilidade e, consequentemente, a incidência de invasões cibernéticas.

3 – Proteja seus dispositivos móveis
Com ferramentas e informações na nuvem, que permitem acesso às informações e plataformas remotamente, houve crescimento exponencial no uso desses aparelhos por gestores e equipes. Segundo estudo da Gartner, até o final de 2017 mais de 8,4 bilhões de dispositivos estarão conectados à internet, fazendo com que existam cada vez mais portas de entrada para possíveis ataques.

Dessa forma, especialistas atribuem o aumento de crimes cibernéticos ao descuido do usuário de aplicações nos dispositivos móveis. Diferentemente do vírus mais conhecido que chegam aos computadores por meio de arquivos, no caso dos mobiles, os malwares muitas vezes vêm no formato de phishing, mensagens ou e-mails enviados com links para sites e outras páginas contaminadas.

Além da atualização do software do dispositivo, é importante atentar-se ao remetente das mensagens e não abrir ou aceitar nenhum tipo de convite de pessoas desconhecidas ou suspeitas.

 

(*) Juan Rodriguez é CIO da Santo Digital 

Fonte: http://cio.com.br/

Alberto M. Sato

Engenheiro de Eletrônica e Telecomunicações (CEFET-PR 88), com certificado da Cisco CCNP (Cisco Certified Network Professional), tendo atuado por 11 anos na Telepar / BrasilTelecom nas áreas de te...

Mais Posts De Alberto M. Sato

Posts Relacionados

Deixe um comentário