Preço, design e especificações técnicas não são os únicos fatores que pesam na hora de adquirir um celular — embora sejam os principais. O sistema operacional também é um elemento importante que pode definir qual aparelho o usuário vai adquirir, uma vez que cada plataforma possui características únicas e que possivelmente não estão na concorrência.

Entre elas está o teclado, que pode se diferenciar em diferentes dispositivos. No caso do Android, essa disparidade pode ser ainda mais acentuada se levarmos em consideração a quantidade de smartphones no mercado e como as fabricantes modificam o recurso de acordo com suas preferências.

Por isso, se você prefere utilizar teclados de terceiros, mas não sabe como habilitá-los no seu telefone, ensinamos o procedimento nas instruções abaixo. O processo pode variar com base no celular, mas, no geral, funciona assim.

Vamos começar

Passo 1: O método mais simples para trocar de teclado no Android é baixar um aplicativo dessa categoria pela Google Play Store. Basta fazer uma busca rápida para encontrar várias versões — existe até teclado de emoji. Alguns dos mais famosos são o SwiftKey e o Gboard, da própria Google. O importante é sempre optar por apps de desenvolvedoras certificadas.

Passo 2: Após fazer a instalação da ferramenta, é hora de ativá-la. Para isso, vá nas configurações do seu dispositivo, depois “Idioma e entrada” e “Teclado e métodos de entrada”.

Passo 3: Dependendo da versão do Android, nesta seção serão exibidos todos os teclados instalados no aparelho, inclusive o original. Se isso não acontecer, clique na opção “Teclado atual” e, na sequência, em “Escolher teclados”.

Passo 4: Na janela seguinte, haverá uma lista com os teclados baixados por você. A partir daí, você só precisa marcar a chave do teclado desejado, no lado direito da tela, para ativá-lo na hora.

Independentemente do teclado escolhido, você ainda pode alterar o idioma usado pelo recurso. Na seção “Teclado e métodos de entrada”, toque sobre o teclado ativo no momento e selecione “Idiomas”. Além disso, é possível definir estilos de entrada personalizados (como optar pelo padrão QWERTY, por exemplo) e até alterar as cores das teclas.